Que não acabes nunca...


Nome:
 
Collezione:
 
Altra traduzione:
Nuno Rocha Morais »»
 
Últimos Poemas (2009) »»
 
Francese »»
«« 19 / Sommario (20) / 21 »»
________________


Que não acabes nunca...
Che tu non finisca mai...


Que não acabes nunca de me esquecer
(A memória como um dente-de-leão
Que resiste a todos os sopros,
Um lume de partículas suspensas
Pairando como luz num dia de Verão,
Enxames crepusculares sobre um curso de água).
Que indelével seja qualquer coisa,
Um cristal de noite, o resto de um riso,
Uma cintilação na nebulosa de instantes
Em que acordámos juntos
E percebemos, num misto de alívio e alegria,
Que o amor não tinha acabado ainda,
Que ainda não nos deitáramos a perder.


Che tu non finisca mai di dimenticarmi
(La memoria come un soffione
Che resiste a tutti i venti,
Un fuoco di particelle sospese
fluttuando come luci in un giorno d’estate,
sciami crepuscolari sopra un corso d’acqua).
Che sia indelebile qualunque cosa,
un cristallo di notte, la scia di una risata,
un bagliore nella nebulosa di istanti
in cui ci svegliammo insieme
e sentimmo, con un misto di sollievo e gioia,
che l’amore non era ancora finito,
che ancora non c’eravamo distesi per perderci.


________________

Soga Shōhaku (1730 - 1781)
...

Nessun commento:

Posta un commento